carregando
Carregando...
Caso a página demore muito para carregar,
aperte o botão "atualizar" do seu navegador ou a tecla "F5".

  • Receba informações e promoções de nosso site.


Mensagens Bíblicas

Geral

FIQUE ONDE DEUS MANDAR, HÁ UM PROPÓSITO

21/12/2017 às 17:24h

 

Ora, João batizava também em Enom, junto a Salim, porque havia ali muitas águas; e vinham ali e eram batizados.

João 3.23

 

João Batista foi um precursor de Cristo para Lhe abrir o caminho. Ao ser questionado pelos sacerdotes e levitas, enviados de Jerusalém pelos judeus, sobre quem ele era, João disse abertamente que não era o Cristo. Também negou ser Elias ou o profeta, mas se identificou como a voz que clamava no deserto (Jo 1.21-23) e advertia todos a endireitarem o caminho do Senhor, conforme Isaías havia profetizado.

O foco do seu ministério era o arrependimento e a consequente mudança de procedimento. Os arrependidos eram batizados, porém, primeiro, tinham de confessar publicamente seus pecados. Apesar de João ser radical em sua doutrina, muitos iam ao deserto para ouvi-lo. Sem dúvida, por ser dirigido pelo Espírito de Deus, ele era procurado, embora fosse difícil para as pessoas se deslocarem até onde ele se encontrava.

O sucesso de Jesus na Galileia era notório, pois multidões iam até Ele. Assim, ao ouvi-Lo, os necessitados se enchiam de fé e eram curados. O Mestre pregava para que os pecadores se arrependessem, pois o Reino de Deus estava próximo (Mt 3.2). Ele ensinava a respeito do poder de curar enfermidades, desmanchar bruxarias e magias, ministrando a Verdade a todos; afinal, a libertação ocorre quando a conhecemos (Jo 8.32). A obra que Deus nos dá tem de ser completada.

Ao Se dirigir com os Seus discípulos para a Judeia, Jesus começou a batizar (Jo 3.22). Como vimos, não era Ele quem fazia isso, e sim os discípulos sob Sua supervisão. É interessante notar que não ouvimos falar que isso ocorreu antes de ter partido da Galileia para a Judeia. Às vezes, os pregadores querem logo batizar os convertidos, como se estivessem em uma competição para ver quem realiza mais batismos. Porém, pelo exemplo dado por Cristo, primeiro devemos doutrinar os novos na fé.

Mesmo sabendo que Jesus deveria crescer e ele diminuir (Jo 3.30), João continuou a batizar em Enom, pois Aquele que o enviou não o mandou parar o ministério, o que só aconteceu com a sua morte na prisão. Devemos proceder dessa maneira com todas as missões vindas do Céu, até que novas instruções nos sejam fornecidas. O importante é continuar a servir ao Altíssimo com alegria sem desprezar nenhum ponto do plano divino.

João batizava em Enom, porque havia ali muitas águas. Da mesma maneira, faremos a obra onde há abundância de “material” para utilizarmos. Por exemplo, quando Deus nos dá um entendimento sobre alguma parte da Bíblia, que nunca havíamos entendido ou ouvido, devemos permanecer estudando e pregando aquela mensagem até sentirmos o momento de parar. Quando isso ocorrer, nós e o povo seremos muito abençoados.

João foi enviado ao deserto e lá passou o tempo do seu ministério. De igual modo, temos de ficar onde o Altíssimo nos manda. Há um propósito no chamado divino, por isso não devemos escolher por nós mesmos quando ou onde começar a pregar ou encerrar a missão a nós confiada. Além disso, os que foram convocados devem ir até o fim (Dn 12.13).

Fonte: Ongrace

Comentários

Você precisa logar no site para poder enviar comentários. Clique aqui caso ainda não possua um cadastro em nosso site.

     

    1