carregando
Carregando...
Caso a página demore muito para carregar,
aperte o botão "atualizar" do seu navegador ou a tecla "F5".

  • Receba informações e promoções de nosso site.


Notícias

Comportamento

Bloquearam a BR-158, neste sábado, 23, em protesto à decisão do TRF

por Pr. Cléber Santos
24/06/2012 às 02:43h
A área da Suiá Missu soma 165 mil hectares e cerca de 700 famílias têm propriedades nesta área. A disputa judicial pelas terras de Marãiwatsede já se estende por 17 anos. Declarada como indígena em 1993 e homologada em 1998, a área abriga atualmente cerca

 

Os produtores rurais que habitam a região da área da Suiamissu Maraiwatsede, decidiram neste sábado, 23,  em uma reunião que aconteceu no barracão da Igreja Católica no Distrito Estrela do Araguaia (Posto da Mata),  bloquear a BR-158 em protesto à decisão do Tribunal Regional Federal que garantiu a entrega das terras para os índios Xavantes. O tribunal cassou uma liminar que garantia a permanência dos fazendeiros na área.

O advogado dos produtores fez um discurso acalorado e colocou o fechamento da BR-158 com uma das únicas saídas de pressionar os governos e as autoridades sobre o caso que já dura 20 anos na região do Norte Araguaia. Durante o discurso Luiz Alfredo disse que a Justiça é frouxa. “O Judiciário tem medo da Igreja, da imprensa, os juízes são uns medrosos e somente o Supremo Tribunal Federal vai poder dar uma decisão justa sobre esse conflito, o Judiciário é frouxo”, declarou o advogado durante o seu discurso na reunião.

O advogado também acusou o governador Silval Barbosa de abandonar os produtores. “Esse governador nos abandou a pura sorte, aprovou uma Lei e nunca mais atendeu os produtores ou acompanhou em alguma audiência em Brasília um verdadeiro descaso”, disparou o advogado, que por outro lado ele fez questão de ressaltar o esforço que tem feito o presidente da Assembleia Legislativa, deputado  José Riva (PSD), que tem atendido  aos produtores e colocado toda a assessoria jurídica a disposição dos produtores.

Ainda de acordo com o advogado somente um bloqueio total da BR-158 pode despertar nas autoridades o interesse em participar e colaborar com os produtores.

Logo após a reunião, os produtores seguiram para a BR-158 próximo ao posto da mata, onde está sendo montado um acampamento. O bloqueio pode acontecer a qualquer momento, mas a previsão é de que a BR-158 seja trancada totalmente durante a madrugada deste domingo,24. Ainda de acordo com o movimento, somente ambulância e situações de emergência poderão passar.

A BR-158 é uma das principais vias de acesso ao Araguaia, ligando Goiânia, Cuiabá a Tocantins, Pará, Maranhão e ao nortão do estado, e da região do Norte Araguaia a Goiânia e Cuiabá. Nesse trecho da BR-158, mais de 200 caminhões passam diariamente, carregados de materiais em geral, produtos e maquinas agrícola além de grãos.

"É uma das piores sacanagens que eu já conheci. Isso aqui não é grilagem de terras, não é bandidagem, nós compramos a área titulada, essa região é riquíssima e o que estão fazendo é uma grande sacanagem”, declarou o presidente da Associação dos Produtores da SuiáMissu.

Cerca de 100 índios xavante vão participar do movimento em favor dos fazendeiros, já que eles alegam que já habitaram na região, porém não dentro da área que está sendo discutida.

O movimento começou neste sábado e não tem data definida para encerrar. Os prefeitos de Alto Boa Vista Wanderley Perim de Alto Boa Vista, e de São Felix do Araguaia Filemom Limoeiro também estão apoiando o movimento.

A área da Suiá Missu soma 165 mil hectares e cerca de 700 famílias têm propriedades nesta área. A disputa judicial pelas terras de Marãiwatsede já se estende por 17 anos. Declarada como indígena em 1993 e homologada em 1998, a área abriga atualmente cerca de 900 xavantes, que ocupam menos de 15% do total demarcado.

Fonte: da Redação Graça Jovem

Comentários

Você precisa logar no site para poder enviar comentários. Clique aqui caso ainda não possua um cadastro em nosso site.

     

    1